TRANSTORNO DE ESCORIAÇÃO OU SKIN-PICKING

O que é Transtorno de Escoriação ou Skin-Picking?

A característica essencial do transtorno de escoriação (skin-picking) é o beliscar recorrente da própria pele. Os locais mais comumente beliscados são rosto, braços e mãos, porém muitos indivíduos beliscam múltiplas partes do corpo. Podem beliscar pele saudável, irregularidades menores na pele, lesões como espinhas ou calosidades ou cascas de lesões anteriores. A maioria das pessoas belisca com as unhas, embora muitas usem pinças, alfinetes ou outros objetos. Além de beliscar a pele, pode haver comportamentos de esfregar, espremer e morder. O indivíduo age de maneira compulsiva com frequência e intensidade suficientes para causar prejuízos compatíveis com um transtorno psiquiátrico. Em outras palavras, quando há sofrimento, dano tecidual visível (formação de feridas), incapacitação, deficiência ou alguma perda de liberdade, passa a ser considerado um distúrbio emocional.

 

Sintomas do Transtorno de Escoriação (Skin-Picking)

Indivíduos com transtorno de escoriação frequentemente passam quantidades significativas de tempo em seu comportamento de beliscar, às vezes várias horas por dia, e esse comportamento pode durar meses ou anos. Comportamentos como tocar, coçar, cutucar, arranhar, furar ou escoriar determinadas regiões da pele, de modo tão intenso ou repetitivo que acaba provocando feridas, cicatrizes, descolorações na pele. O paciente pode passar horas examinando a pele, procurando pequenas imperfeições, bolinhas, espinhas, cravos, pedacinhos de pele, pelos e arrancando, coçando, cutucando e furando.

 

Qual é o tratamento do Skin-Picking?

Raramente, os indivíduos que apresentam este transtorno buscam tratamento psiquiátrico, psicológico ou dermatológico. A resistência, provavelmente, ocorre devido ao constrangimento social, desconhecimento sobre tratamentos viáveis e, até mesmo, a crença de que o comportamento não é prejudicial. Por isso, com o aparecimento frequente dos sintomas, é importante procurar ajuda de um psiquiatra, psicólogo e um médico dermatologista.

 

Estatísticas:

A prevalência da doença é estimada em 2% da população geral, sendo mais comum nas mulheres.

 

Como podemos ajudar no dia-a-dia?

O uso de luvas finas (tipo luvas de golfe) ou de esparadrapo (micropore) nas pontas dos dedos pode ajudar. Quando a pessoa com o transtorno se cutuca, inicia uma ação que tende a se perpetuar, portanto quando ela não consegue (porque as pontas dos dedos estão cobertas), começa a se descondicionar desse comportamento.

 

CRISTIANY RAINHO MENDONÇA

☎ 11 98319-0695

Rua Siqueira Bueno, 1576 - Mooca, São Paulo - SP, 03173-010, Brasil

©2018 BY BELA PSICOLOGIA - CRISTIANY RAINHO MENDONÇA